Crise Econômica? Veja o que está destruindo o seu negócio

No artigo anterior, meu sócio Rafael abordou alguns pontos importantes sobre como sobreviver nessa crise econômica, e por estarmos passando por um período onde muitas empresas estão com dificuldade, diversas pessoas curtiram e comentaram o artigo tanto no site quanto nas redes sociais.

Não deixe de conferir o artigo: Crise econômica – Como fazer sua empresa sobreviver

Neste artigo irei dar continuidade ao assunto sobre a crise econômica.

Porém deixarei de lado a crise econômica externa e convidar você a analisar um pouco mais a área interna do seu negócio.

Mas atenção se você busca crescer e fazer a diferença leia este artigo até o final, mas se você prefere ficar na mesmice e continuar na “plateia” vendo seus concorrentes crescendo, não recomendo a leitura, mas mesmo assim pode te ajudar em outros pontos.

Quando falamos em crise econômica logo ficamos com olhos atentos a gráficos, tendências, dólar, Petrobrás, governo, Inflação e muitos outros aspectos que infelizmente não temos controle e com isso ficamos desesperados buscando sempre o culpado de tudo e deixando de lado o que realmente temos controle.

Mas a grande pergunta é: “Você já parou para refletir um pouco como anda o seu negócio? Parou um pouco de colocar a culpa no dólar, na inflação e passou a dar mais tempo a novas estratégias pra conseguir gerenciar a sua empresa e deixa-la mais sustentável?”

Pois é exatamente disso que irei falar hoje, embora a inflação e outros atributos da econômica influenciam alguns negócios de forma direta e indireta, não podemos diminuir o ritmo e esperar a crise econômica passar, até porque da mesma forma que os nossos pensamentos influenciam nossos resultados, a VERDADEIRA crise econômica está diretamente ligada na parte interna da empresa.

Talvez você esteja confuso agora não é? Primeiro falei da crise e agora digo que o problema é dentro da sua empresa, mas leia até o final e me diga se concorda comigo.

A verdadeira crise está todos os dias no cliente insatisfeito com o serviço, funcionário desmotivado e com muita frequência de faltas, na falta de investimento e fluxo de caixa porque o empreendedor tem dificuldade de gerenciar o financeiro, atendimento ao cliente inadequado, o concorrente que está inovando e você sentado fazendo a mesma coisa todos os dias, falta de verba para publicidade e muitos outros fatores.

A verdadeira crise econômica está ligada a parte interna da empresa porque é lá que você irá assumir todo o controle do seu negócio e criar estratégias sem precisar ficar refém da crise externa.

Em momentos de crise que surgem as grandes empresas, ou seja, as empresas fracas ficam se lamentando porque as estratégias de vendas já não funcionam mais. Enquanto as empresas preparadas são mais rápida e ágeis para se reinventar e criar novas estratégias de vendas, inovações e gerenciamento de recursos e pessoas.

Mas agora que você está ciente do que realmente é a crise econômica, separei 3 pontos principais para não se influenciar na crise externa e ter um olhar mais atendo as crises internas e controláveis da sua empresa que por descuido ou comodismo infelizmente são deixados de lado.

Avaliar

Avaliar é sempre o primeiro passo pra saber se tudo está indo conforme planejado ou não, causando assim  prejuízos. Afinal, é impossível descobrir problemas e se reinventar se você não tem hábito de avaliar o seu negócio. Não sabe onde está indo? então qualquer lugar serve. CUIDADO!

Avalie e fique com os olhos atentos para saber se você está indo para o caminho certo, as vezes temos momentos de dificuldade em épocas sazonais mas não significa que seu negócio está tendo prejuízos, normalmente passamos por momentos de desafios que fazem parte do setor mas é sempre bom ficar preparado nessas datas.

Avalie se os seus funcionários e se a gestão da sua empresa estão alinhados ao crescimento do seu negócio. Avalie também o caixa da empresa e verifique se está como planejado ou precisa reestruturar algum ponto.

Avalie todas as áreas do seu negócio e busque maneiras de sempre melhorar e não deixe de fazer comparações com os seus resultados do ano anterior, isso te possibilita uma visão mais clara da evolução do seu negócio. Evite fazer comparações com grandes empresas, compare sua empresa com ela mesma, essa é a maneira correta de medir um negócio e analisar se está em crescimento ou em queda.

Desapegar

Isso mesmo, desapegar é o termo que consigo definir nesse segundo tópico, pois desapegar daquela estratégia usada a anos e que possivelmente já não funcionam mais é algo desafiante, porque ficamos anos fazendo a mesma coisa e quando fazemos algo novo chega até assustar. Mas acredite, isso faz parte do processo de inovação e do crescimento da empresa, arrisque em novas ideias.

Seja na área de venda, atendimento, marketing, gestão de pessoas, fluxo de caixa e etc. Quando desapegamos das velhas estratégias, temos a chance de fazer diferente e isso consequentemente faz a sua empresa se destacar da mesmice que os outros fazem.

Tudo o que é novo assusta. Quando você começou a empreender tudo era novidade não é mesmo? Tenho certeza que você sentia aquele frio na barriga e com o tempo você aprendeu a desapegar do que fazia e evoluiu para o sucesso.

Mão na massa

Avaliou e desapegou do que não funciona mais? agora é hora de colocar a mão na massa.

As vendas caíram? basta avaliar, desapegar e criar maneiras de atrair potenciais clientes através da VENDA ATIVA (vendas diretas, entrar em contato com potencias clientes que ainda não compraram, investir em mídia online, entender os motivos de baixa nas vendas e reinventar a oferta do produto ou serviço, telemarketing e etc.)

Use o dinheiro do caixa da empresa para investir em vendas de novos produtos ou serviços relacionados ao que a sua empresa já vende para conseguir fazer vendas cruzadas e complementares. Mas invista com cautela.

Em um outro artigo abordamos qual seria o melhor meio de publicidade, o online ou tradicional, depois dê uma conferida: Investir em publicidade online ou tradicional? Análise Completa!

Você só vende produtos? Complemente com um serviço de qualidade e aumente o ticket médio por venda, se apenas presta serviço pode implementar alguns produtos do ramo.

Não tem fluxo de caixa? Então tire um pouco da parcela do faturamento e comece a planejar o caixa da sua empresa e não se esqueça de separar as despesas do seu negócio das suas despesas pessoais antes que a sua empresa caia na estatística do Sebrae das empresas que duram apenas 5 anos.

Colaboradores desmotivados? Procure entender o que motivam eles a acordarem todos os dias e ir trabalhar na SUA empresa, entenda quais valores a sua empresa está gerando pra eles além de apenas depositar o salário todo mês. Afinal você é um líder e tem a responsabilidade de cuidar dos liderados e consequentemente eles cuidarão da sua empresa.

Sei que esse artigo ficou um pouco longo, então se você quer receber mais dicas e não perder nenhuma de nossas atualizações se inscreva em nosso formulário, não custa nada e você terá conteúdos de muito valor para seu negócio.

Se tiver alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto fique a vontade para comentar abaixo, estou ansioso para te conhecer e seguir nossos aprendizados, tenho certeza que você também tem algumas dicas muito boas para nos repassar não é mesmo?

Muito obrigado, fique atento as próxima atualização. Sucesso!

Categoria: Marketing, Vendas
Post anterior
Crise econômica – Como fazer sua empresa sobreviver
Próximo post
Conquistar clientes no Facebook sem ter um site é possível?
Menu